Simule e contrate

g1

Segundo dados da associação brasileira de empresas de limpeza pública e resíduos especiais, o Brasil ocupa o 4° no ranking mundial de produção de lixo, com quase 80 milhões de toneladas geradas por ano, mas nem 4% desse total é reciclado. Empresas inovadoras ligada à reciclagem ajudam consumidores e indústrias a dar um destino mais nobre ao lixo Na Bahia, empresas inovadoras estão ajudando consumidores também indústrias a dar um destino mais nobre e sustentável para o lixo. Um acúmulo desproporcional. Pelas ruas de pequenas e grandes cidades, amontoados de lixo. Dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, apontam que o Brasil ocupa o 4° lugar no ranking mundial de produção de lixo, com quase 80 milhões de toneladas geradas por ano, mas nem 4% desse total é reciclado. Separar o que é lixo de tudo aquilo que pode ser reciclado é um tipo de atitude que muita gente já teve um dia, mas de nada adianta esse trabalho todo se o descarte não for feito da forma correta. Foi pensando nisso, e também em facilitar a vida de quem faz essa separação, que uma startup baiana decidiu criar um serviço especial de coleta: é o delivery da reciclagem. Um serviço que facilitou a vida do Uran Rodrigues. "Gratuito, delivery que chega na sua casa, só faz incentivar e motivar com que outras pessoas também possam ser mais conscientes", ressalta o produtor cultural. "Hoje a gente tem muito mais forte realmente a adesão da população com resíduo doméstico, e também de pequenos comércios, né? Bares, restaurantes, alguns hotéis. E aos poucos, a gente espera também ir agregando essas indústrias que têm mais resíduos", destaca Saville Alves, co-fundadora da startup Solos. As grandes indústrias precisaram se adaptar para cumprir a lei nacional de resíduos sólidos, que prevê a logística reversa a partir de 2021, o que fez nascer um mercado pra atender a essa demanda. "Os produtores, que são os fabricantes, os distribuidores e os comerciantes, eles passaram a ter essa responsabilidade de instituir programas de política reversa para poder garantir o descarte ambientalmente adequado", conta Antônio Lobo, coordenador de meio ambiente da UFBA. Uma empresa recolhe esponjas velhas de grandes fabricante e transforma em pequenos grãos de plásticos de grande utilidade na indústria. "A gente identifica meios de fazer a reciclagem desse material que a qualidade para ser reintroduzido no ciclo produtivo. Uma indústria que faz bancos, que faz vasos para plantas, baldes, lixeiras. Em vez de usar uma resina virgem, usa uma resina reciclada", ressalta Renata Rossi, gerente de marketing da TerraCycle. Já pensou trocar produtos recicláveis por cursos ou até alimentos? É desse jeito que uma outra startup vem ganhando espaço em Salvador. Hoje, há pelo menos 12 contêneires espalhados pela cidade, que recebem tudo aquilo que antes ia parar no lixo. "A gente fecha o ciclo todo. Desde o consumidor levar seu resíduo, até ele ter encaminhamento correto e aí depois a gente muitas vezes pluga a cooperativa com um convertedor, que a gente chama, com um reciclador, para vender de volta pra indústria. Então a gente realmente fecha esse ciclo todo da economia circular. Envolvendo o cidadão, que pra mim é super importante", conta Claudia Pires, co-fundadora da SOMA. Foi assim que a dona Doralice conseguiu o curso de informática para o neto. Dona Jorgina, alimentos e desse jeito incentivaram outras pessoas. "Eles incentivaram os vizinhos a ajudarem e desta forma ter uma consciência também que a gente precisa realmente conservar o lugar que a gente mora", destaca Deise Jane, técnica de informática.
O clima do Ceará atraiu o investimento de R$ 950 milhões em um parque solar, em pleno sertão. A ampliação da energia solar pode significar conta de luz mais barata no futuro e vagas de trabalho. Com os aumentos constantes na conta de luz, a procura por energia solar tem aumentado. Na loja do Bernard, a instalação do ar condicionado já era planejada faz tempo. Mas, ele não contava com o aumento da energia elétrica justamente agora. Por isso, correu para instalar painéis solares no comércio. "Aproveitamos nosso clima do Ceará, pra gente ter, em média, uma economia de R$ 2 mil mensal, que vai justificar o investimento e vai valer a pena”, relata Bernard Fontenelle, empresário. O clima do Ceará também atraiu o investimento de R$ 950 milhões em um parque solar, em pleno sertão, entre as cidades de Limoeiro do Norte e Tabuleiro do Norte. Os painéis solares ocupam um espaço do tamanho de 800 campos de futebol. A escolha da região leva em conta a incidência solar que permanece o ano inteiro, com poucos dias nublados. Mas, também tem uma questão estratégica: o parque fica próximo à uma linha de transmissão e tudo que é gerado cai direto no sistema interligado que distribui energia para o Brasil inteiro. A geração do parque, suficiente para abastecer 970 mil casas, contribui para aumentar a participação da energia solar no abastecimento do país. Hoje, ela representa só 2% da matriz energética. "A energia solar é dez vezes mais barata do que as energias térmicas e poluentes. Estamos com ganhos de tecnologia e esse também é um grande salto que a gente espera que o setor de energia solar faça", conta Luis Carlos Queiroz, presidente Sindenergia- CE A ampliação da energia solar pode significar conta de luz mais barata no futuro e vagas de trabalho. A instalação do parque no Ceará gerou quase quatro mil empregos diretos e indiretos. E, agora, o funcionamento dele, oferece oportunidade pra técnicos qualificados que não precisam mais deixar a região. "Eu rodava o Nordeste inteiro... Aí eu ficava muito longe da minha família. E hoje eu tenho a oportunidade de estar próximo à minha filha, à minha família", relata Unildo Andrade Honorato, técnico mantenedor.
Há dois meses, cientistas de diferentes instituições alertaram que a seca seria mais severa em 2021, com alto risco de incêndios no Pantanal. Algumas medidas de prevenção foram feitas, mas não foram suficientes. Chamas se alastram para a Serra do Amolar, um importante corredor de biodiversidade. Baixa umidade dificulta combate aos incêndios no Pantanal, em MS A umidade muito baixa dificulta o combate aos incêndios no Pantanal, em Mato Grosso do Sul. E as chamas se alastram para a Serra do Amolar, um importante corredor de biodiversidade. Um redemoinho de fumaça, fuligem e fogo se formou diante dos bombeiros e brigadistas. O fenômeno raro acontece quando o solo quente e a corrente de ar se encontram. Os bombeiros saíram às pressas. Minutos depois, outro redemoinho. Por pouco os combatentes não foram cercados. O incêndio sem controle avança em direção à Serra do Amolar. "A situação continua bastante grave pelas altas temperaturas, baixa umidade. Atingindo fazendas, casas, assustando a todos nós. Com certeza é um grande impacto para a natureza para todos que vivem no pantanal", disse Ângelo Rabelo, presidente do IHP. Os moradores de uma casa na margem do rio Paraguai tiveram de fugir às pressas durante a noite. Conseguiram salvar apenas os documentos. Tudo que construíram em 25 anos de trabalho no Pantanal, queimou. Estão morando em uma barraca. "Passei muita falta de respiração por causa da fumaça", disse Antonio Caetano Alves, que perdeu a casa. Há dois meses, cientistas de diferentes instituições alertaram que a seca seria mais severa em 2021, com alto risco de incêndios no Pantanal. Algumas medidas de prevenção foram feitas, mas não foram suficientes. Mais uma vez, as chamas se alastram no Pantanal. As paisagens carbonizadas são angustiantes. De novo o fogo destrói quilômetros de vegetação, matando a biodiversidade da região. O incêndio é tão intenso e as chamas tão rápidas, que os bichos não conseguem correr. Os brigadistas indicam o local e o avião lança a água para resfriar o solo. As equipes reviram a terra molhada até chegar na matéria orgânica que queima no subsolo. “Você acha que venceu ele e daqui a pouco, surge de novo. Se você não está por perto, fica um fogo sem controle totalmente", explica Washington Rojas, brigadista. Imagens que ninguém esperava ver de novo. A fumaça encobrindo o horizonte. E fogo, muito fogo.
Jornal Nacional teve acesso ao depoimento do delegado-geral da Polícia Civil. Ruy Ferraz Fontes diz que Carlos Alberto da Cunha nem estava na hora em que os policiais encontraram o cativeiro. Da Cunha foi afastado das atividades externas em julho e, no mês passado, pediu licença não remunerada por dois anos. MP paulista investiga delegado que simulou flagrante do estouro de um cativeiro de sequestro O Ministério Público paulista está investigando um delegado da Polícia Civil que admitiu que simulou o flagrante do estouro de um cativeiro de sequestro. O homem que aparece nas imagens é um delegado atualmente afastado da polícia paulista. Carlos Alberto da Cunha ficou conhecido na internet por gravar e publicar operações policiais. Mas ao menos um desses vídeos mostra uma ação simulada - ou seja, que não aconteceu naquele momento. As cenas mostram o resgate de um homem mantido em cativeiro por criminosos. O caso foi em julho de 2020 na capital paulista. Policiais e testemunhas disseram ao Ministério Público que o vídeo foi uma encenação de algo que já tinha acontecido - mas que não tinha sido registrado em vídeo. Por isso, o delegado fez a simulação depois do ocorrido. O inquérito do MP indica que o policial usou como figurantes um sequestrador preso e a própria vítima, que precisou voltar à cena do crime. O delegado admitiu que tudo foi gravado depois da ação. “Todos os delegados que trabalharam em delegacias antissequestro e principalmente no setor de homicídios sempre fazem a reconstituição do local do crime. Eu sou professor de processo penal e gosto muito disso e assim, não tinha como perder”. Mas, no vídeo, em nenhum momento, o policial deixou claro que se tratava de uma simulação. O Jornal Nacional teve acesso ao depoimento do delegado-geral da Polícia Civil. Ruy Ferraz Fontes diz que Carlos Alberto da Cunha nem estava na hora em que os policiais encontraram o cativeiro. E que “segundo a Corregedoria da Policia Civil, da Cunha simulou toda a situação para que pudesse gravar o vídeo como se tivesse invadido o barraco e salvado a vida da vítima, para fazer crer aos seus seguidores que ele se encarregara da execução do trabalho, o que não corresponde à verdade". As ações do delegado já vinham incomodando as autoridades da Segurança Pública paulista. O entendimento é de que ele usa equipes e equipamentos da polícia, como armas e viaturas, para se promover e para ganhar dinheiro nas plataformas de redes sociais onde publica os vídeos. Da Cunha foi afastado das atividades externas em julho. E no mês passado, pediu licença não remunerada por dois anos. Em nota, a Polícia Civil afirmou que o delegado responde a vários procedimentos administrativos disciplinares. Dois foram concluídos, com o indiciamento por crimes contra a honra, abuso de autoridade e peculato, por usar a estrutura da polícia em proveito próprio. A nota diz ainda que o objetivo dele era ganhar visibilidade e ganhos financeiros indevidos. O ouvidor das polícias disse que a conduta do delegado deve ser investigada. “Evidentemente não coaduna com a atividade de um agente público, sobretudo com a de um policial. É preciso apurar, ele tem direito ao devido processo legal, e evidentemente ao contraditório, mas é preciso que haja uma investigação, e evidentemente se comprovado, enfim, as denúncias, ele vai sofrer as consequências da lei”, afirmou o ouvidor Elizeu Soares Lopes. O delegado Carlos Alberto da Cunha e o advogado dele não retornaram as ligações.
O rio Javaé é um dos principais meios de subsistência das comunidades indígenas que vivem na Ilha do Bananal. Dois rios importante do Tocantins sofrem com a estiagem Dois rios importantes do Tocantins sofrem com a estiagem, que já dura 120 dias. "Rio Formoso aí gente, ó... Como é que está a situação, só areia. Tem água mais não, acabou a água do rio Formoso." Essa é a situação do sudoeste do Tocantins. Na região, fica o maior projeto de agricultura irrigada em terras contínuas da América Latina. Bombas são usadas para retirar água dos rios. Mas, com a seca, produtores tiveram que suspender a captação. Por longas distâncias é possível ver que o fluxo d’água já não ocupa todo espaço. O rio Javaé também sofre com a estiagem, ele é um dos principais meios de subsistência das comunidades indígenas que vivem na Ilha do Bananal. A equipe do Jornal Nacional esteve no meio do rio Javaé, em um ponto que dá acesso à Aldeia Boto Velho. A água deu lugar à areia. “Ilha do Bananal agora não é ilha, né? É desertão de ilha. Só areia”, diz cacique Wagner, da Aldeia Boto Velho. O Ministério Público do Tocantins pediu que na Justiça revise as autorizações de captação de água. “Os recursos hídricos são necessários, eles não são privados, eles são de toda a sociedade. Cabe ao órgão ambiental estadual fazer a gestão adequada desses recursos hídricos para que se possa utilizá-lo de acordo com o que a legislação orienta”, diz José Maria da Silva Júnior, MPE. Caixinhas instaladas ao lado dos canos fazem parte de um sistema da Universidade Federal do Tocantins, em parceria com a Agência Nacional de Água. O sistema se torna mais eficiente o controle da retirada da água no rio. “A gente consegue comparar as captações de cada bomba, e em tempo real, com os valores de vazão, volume e duração das autorizações de uso de recursos hídricos”, diz Felipe Marques, UFT.
Um dos maiores nomes do rock nacional está sendo homenageado no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. Exposição em São Paulo celebra 50 anos da carreira de Rita Lee Um dos maiores nomes do rock nacional está sendo homenageado no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. A nova exposição marca os 50 anos de carreira de Rita Lee. No excêntrico planeta Rita Lee, só se chega de disco voador. E, para cada canto que se olha, cores e sons revelam o universo criativo, corajoso e livre da rainha do rock. “Tem lembrança dos amigos, das festas, dos passeios. Para mim é uma questão de me transportar para o passado e reviver”, disse a comerciante Alice Vendruscolo. A exposição no Museu da Imagem e do Som reúne preciosidades da vida de Rita Lee e dos mais de 50 anos de carreira da artista, que tem 73 anos. Acervo pessoal da cantora, que tem mania de guardar tudo. “Ela é, para nossa sorte, uma capricorniana acumuladora. A gente está vendo o que a Rita usava nos palcos, de verdade, o que a Rita usava na vida, como ela compunha suas músicas e seus instrumentos”, disse Guilherme Samura, diretor artístico da Expo Rita Lee. Tem a bateria que ela ganhou do pai quando era adolescente, o piano que era da mãe, as guitarras usadas nos shows. Nos caderninhos estão as criações de grande músicas como “Cor de rosa” e “Doce vampiro”. Tem também figurinos icônicos, como o usado na capa do disco “Lança-perfume”, em 1980. Um cantinho especial da exposição para Rita marca a transição dela, loira, na época dos Mutantes, para ruiva que a gente conhece até hoje. E essa transformação aconteceu em Londres, no início dos anos 1970. A Rita pintou o cabelo, foi até uma loja, colocou umas botas, experimentou, amou, inclusive as botas são superimportantes para ela até hoje, e de lá saiu para conquistar o mundo. Coube ao filho, João Lee, mostrar tudo para mãe, que à distância – em tratamento contra um câncer de pulmão, participou de todas as etapas. “Desde pequeno que ouço ela falando que ela queria muito fazer uma exposição, contar muito dessa história em algum momento e a gente está aqui hoje”, disse João Lee. E a Rita mandou um recado especial para o Jornal Nacional: “Queridx, vim convidar vocês para visitarem a exposição que ganhei do MIS, Museu de Imagem e Som. Quando forem, 'deixa' uma cartinha para mim lá, que tem uma caixa postal direta. Recebo tudo, leio tudo. Adoro cartinha de amor”. A cartinha de amor da Clara, de 10 anos, vai para Rita com também por vídeo. “Eu acho as músicas dela super legais e os figurinos dela, sei lá, muito especiais. Porque nunca vi uma artista que tem, sabe, que demonstra a música pelo figurino também. Então, eu gosto muito dela”, disse Clara. A exposição vai funcionar até 28 de novembro.

Estado tem 856.921 infectados e 23.352 vidas perdidas pela doença desde o início da pandemia. Rede hospitalar estadual está com 45% dos leitos de UTIs ocupados. Coronavírus Foto: JN Goiás registrou 856.921 casos de Covid-19 e 23.352 mortes pela doença desde o início da pandemia, conforme boletim divulgado pelo governo neste sábado (25). Nas últimas 24 horas, o estado contabilizou 1.245 casos de Covid-19 e 10 óbitos pelo vírus. Ainda conforme o boletim, 823.5698 pessoas conseguiram se curar da doença. Outros 618.997 casos e 513 óbitos suspeitos estão em investigação. No estado, a taxa de letalidade do vírus é de 2,73%. Ocupação dos hospitais A rede hospitalar estadual está com 45% dos 506 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados. O índice na enfermaria é de 28%. Em Goiânia, das 285 vagas de UTI implantadas, 42% estão em uso. O índice na enfermaria, que tem 280 leitos implantados, é de 60%. O Complexo Regulador Estadual, que administra pedidos de internação, está com nove pacientes na fila de espera por uma UTI e 14 pessoas aguardam por um leito de enfermaria. Vacinação Vacina e Covid-19: Devo escolher a vacina ou esperar chegar aquela que eu quero? O estado já recebeu 9.127.530 doses de vacinas contra a Covid-19. O levantamento realizado pela SES registrou que foram aplicadas 4.663.554 primeiras doses. Já o reforço foi dado a 2.522.973 pessoas. Casos confirmados O governo estadual registrou os três primeiros casos de Covid-19 em 12 de março de 2020; Em 6 de maio de 2020, Goiás ultrapassou 1 mil casos confirmados e atingiu 45 mortes; Em 14 de agosto, o estado ultrapassou 100 mil casos confirmados da doença; Goiás registrou recorde de casos em um dia em 9 de junho, com 7.031 novos infectados; Em 24 de agosto, Goiás atingiu 800 mil casos de Covid-19. Mortes confirmadas A primeira morte por coronavírus registrada em Goiás foi em 26 de março de 2020; Em 7 de outubro, Goiás ultrapassou 5 mil mortes pela doença; O recorde de mortes em 24 horas foi de 267 óbitos, registrado em 10 de março de 2021; Em 30 de maio, o governo informou que a doença provocou 17 mil mortes; Em 20 de agosto, o estado contabilizou 22 mil vítimas. Veja outras notícias da região no G1 Goiás. VÍDEOS: coronavírus em Goiás

Manifestantes se reuniram com a Bamin Mineração, na sexta-feira (24), e um plano de ações foi elaborado; confira. Após protesto, moradores de cidade no sudoeste da Bahia entram em acordo com mineradora Reprodução/TV Sudoeste Após protesto, moradores de Licínio de Almeida, no sudoeste da Bahia, tiveram uma reunião com a empresa Bamin Mineração, na sexta-feira (24), e fizeram um acordo, onde foi elaborado um plano de ações. O grupo havia bloqueado um ponto de saída dos caminhões da companhia e outro trecho, de onde saem os materiais para uma via férrea. Eles disseram que o excesso de partículas no ar e o transporte das cargas têm causado transtornos e danos à saúde. Após a reunião, ficou definida a criação de uma comissão de acompanhamento das ações, até o dia 29 de setembro, com representantes da prefeitura, da empresa e moradores. Também ficou definido que a empresa deverá aplicar material nas pilhas de minério para diminuir a poeira na região. A empresa se comprometeu ainda em avaliar a possibilidade de aumentar a barreira de proteção da área de escoamento de carga, além de analisar se é possível asfaltar os seis quilômetros de estrada de terra por onde os caminhões passam. Veja mais notícias do estado no g1 Bahia. Assista aos vídeos do g1 e TV Bahia Ouça 'Eu te Explico'
Em 2005, Angela Merkel se tornou a primeira mulher a comandar a Alemanha. Aos 67 anos de idade, a mulher mais poderosa do mundo está agora prestes a se aposentar. Alemães se preparam para se despedir da primeira-ministra Angela Merkel após 16 anos Em uma eleição imprevisível, os alemães vão às urnas no domingo (26) para renovar o parlamento e escolher o novo primeiro-ministro. A votação também marca o fim da era Angela Merkel, há 16 anos no poder. A cientista que estudou física e química quântica fez história na política. Em 2005, Angela Merkel se tornou a primeira mulher a comandar a Alemanha. De premiê durona a líder flexível, guiou o país em tempos turbulentos. Com palavras rígidas, ajudou a Alemanha a superar a crise financeira global em 2008 e a crise do Euro, que começou em 2010. Surpreendeu, em 2015, ao abrir as portas para cerca de um milhão de refugiados. E agora, na pandemia, tocou o coração dos alemães com transparência. Conduziu a locomotiva da economia europeia rumo a um milagre econômico. Em quatro mandatos seguidos, o Produto Interno Bruto per capita da Alemanha aumentou duas vezes mais do que o do Reino Unido e o da França. O desemprego está perto do nível mais baixo em duas décadas. Mas, se a taxa de popularidade de Merkel passa dos 80%, ao mesmo tempo, a maioria dos alemães também acha que chegou a hora de mudar. Aos 67 anos de idade, a mulher mais poderosa do mundo está prestes a se aposentar. Neste domingo (26), pela primeira vez desde 2005, os eleitores alemães vão às urnas sem Angela Merkel na disputa. Aos poucos, o fim da chamada era Merkel vai se desenhando. Mas o colorido da nova Alemanha ainda está incerto. As pesquisas indicam que nenhum partido vai alcançar sozinho os votos necessários pra alcançar maioria no Parlamento e a legenda vencedora vai precisar formar uma aliança para governar. A disputa está acirradíssima. O Partido Social Democrata, de Olaf Scholz, aparece ligeiramente à frente do partido de Merkel, a União Democrata Cristã. Scholz, de centro-esquerda, é o ministro das Finanças da atual coalizão de governo. Se apresenta como uma continuidade, mas disposto a abraçar a pauta climática e investir em justiça social. Já o candidato de Merkel, Armin Laschet, de centro-direita, tenta espalhar desconfiança sobre um governo de esquerda. A primeira-ministra, que se manteve discreta durante a maior parte da campanha, fez questão de mostrar apoio a ele no último comício. Eleger o sucessor é o que falta para fechar um ciclo vitorioso. A repórter Bianca Rothier perguntou a um casal se eles acham que a população vai sentir saudades de Merkel. “Sim, ela é como a mãe da nação”, frisou a Maike. “Ela foi uma premiê muito boa, muito engajada. Mas, sim, agora precisamos encontrar um sucessor”, acrescentou o Johannes. Aguel, sírio de 15 anos, que fugiu da guerra e foi acolhido na Alemanha de Merkel, ainda não vota, mas lamenta. “Eu queria que ela ficasse para sempre”.
Investigações apontam que pelo menos meio milhão de reais já foram roubados. Com medo do golpe, cerca de 1.200 pessoas já se negaram a participar da pesquisa que o ministério realmente está fazendo nas capitais e regiões metropolitanas. Polícia prende parte de quadrilha que usava nome do Ministério da Saúde para aplicar golpes A Polícia Civil de São Paulo prendeu parte de uma quadrilha que usava o nome do Ministério da Saúde para aplicar golpes na população. De um lado da linha está uma pessoa disposta a ajudar a acabar com a pandemia. Do outro, bandidos que usam o nome do Ministério da Saúde para aplicar golpes. “Ele se apresentou como sendo um funcionário do Ministério da Saúde que estava fazendo uma pesquisa com relação à Covid. Porque eles precisavam ter os dados mais precisos de quantas pessoas que tinham sido contaminadas. De como que tava realmente o grau de transmissão da doença", conta uma das vítimas. Antes de terminar a ligação, os bandidos dizem que a pesquisa só será validada após a pessoa enviar um código de confirmação que chegará por mensagem. É aí que os criminosos têm acesso ao celular da vítima e dão início a um novo ciclo do golpe. Uma das troca de mensagens foi entre os bandidos e uma pessoa que tirou R$ 1.300 da poupança e transferiu para a quadrilha. “Eu recebi a mensagem falando: ‘oi, tudo bem, você pode falar?’ e depois as mensagens de texto me pedindo dinheiro. Que ela tinha uma conta pra pagar, o boleto tava para vencer e tinha esgotado as transações bancárias. Eu até pensei: é a minha sogra", relata a vítima. Com medo do golpe, cerca de 1.200 pessoas já se negaram a participar da pesquisa que o Ministério da Saúde realmente está fazendo nas capitais e regiões metropolitanas. A pesquisa faz ligações, envia mensagens e os agentes vão pessoalmente às casas. Para evitar recusas, o Ministério da Saúde teve que mudar a estratégia na coleta dos dados. "O Ministério da Saúde nunca, em nenhum tipo da suas ações, ele solicita a confirmação, envio de código. Sempre que a gente faz contato com a população, é um contato pessoal, ou seja, vai existir uma pessoa do outro lado da linha pra falar com a pessoa, e nunca será solicitado envio de senha, código, de nenhum tipo de informação pessoal", destaca Daniela Buosi Rohlfs. A quadrilha está há nove meses aplicando o "golpe da Covid". As investigações apontam que, usando o nome do Ministério da Saúde, pelo menos meio milhão de reais já foram roubados pelos bandidos. A polícia identificou cinco pessoas que vão responder por associação criminosa, estelionato e invasão de dispositivo de informática. "A gente não descarta que há hipótese sim da participação de outras pessoas, dentre elas até as pessoas que participavam emprestando contas bancária", relata Rodrigo Aires, delegado do Deic.

Polícia Militar disse que ele pretendia roubar o local e corporação precisou atirar para contê-lo. Suspeito foi hospitalizado após ser atingido na perna e deve ser preso quando receber alta. Homem com facão invade convento em Anápolis Um homem foi baleado suspeito de invadir um convento com um facão e ameaçar uma freira e um padre, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. De acordo com a Polícia Militar, ele pretendia roubar o local e a corporação precisou atirar para contê-lo. O g1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito para que se manifestasse até a última atualização desta reportagem. O caso aconteceu na última sexta-feira (24), no Convento Nossa Senhora das Dores, que fica na zona rural da cidade. O suspeito foi atingindo com dois tiros nas pernas e encaminhado ao Hospital Estadual de Urgências de Anápolis (Heana) onde seguia internado até este sábado (25). Conforme apurou a TV Anhanguera, o suspeito deve ser preso pelos crimes de extorsão e resistência à prisão, assim que receber alta médica. A polícia informou ainda que o padre e a freira não tiveram ferimentos. Com o suspeito foram encontrados cinco pedras de crack em seus bolsos e, conforme a polícia, ele não portava documentos de identificação. O g1 não conseguiu contato com a Polícia Civil da cidade, na noite deste sábado, para saber se o caso já está sendo investigado. Homem foi baleado suspeito de invadir convento com facão e ameaçar freira e padre, em Anápolis Reprodução/TV Anhanguera Veja outras notícias da região no g1 Goiás. VÍDEOS: últimas notícias de Goiás
No total, 683.772 pessoas tomaram a primeira dose da vacina de sexta-feira (24) para sábado (25). Mais de um milhão a segunda dose ou a dose única. Brasil registra 548 mortes por Covid em 24 horas De sexta-feira (24) para sábado (25) foram confirmados mais 13.972 novos casos de Covid-19. E o total, desde o começo da pandemia chegou a 21.340.776. Representa mais de 10% da população brasileira. Isso considerando os casos confirmados oficialmente. O infectologista Julio Croda, da Fiocruz, diz que o Brasil testa pouco em relação a outros países. E que o número real de infectados até agora é bem maior. O repórter Alan Severiano conversou com ele. “A gente estima internacionalmente que a letalidade da doença seja em torno de 0,5 a 1%. Nós tivemos, aproximadamente, 600 mil óbitos. Ou seja, muito provavelmente nós tivemos de 30 a 60 milhões de casos no Brasil. Quando você tem uma subnotificação tão importante como a gente tem no Brasil, a gente dificulta o planejamento adequado das ações, principalmente, no entendimento de onde existe maior transmissão da doença, onde é necessário intervenções do ponto de vista de contenção da transmissão e ações mais específicas do poder público”, diz Julio Croda. Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 548 mortes; 594.246 pessoas já perderam a vida para a Covid no país. A média de novos casos por dia está em 16.170; 2% a menos do que a média de duas semanas atrás. O que indica estabilidade. A média de mortes está em 528 por dia; 12% a mais. Também em tendência de estabilidade. Ceará e Roraima não divulgaram novos dados neste sábado (25). Dez estados e Distrito Federal estão com alta na média de mortes. Em estabilidade, são seis estados. Oito têm queda. No total, 683.772 pessoas tomaram a primeira dose da vacina de sexta-feira (24) para sábado (25). Mais de um milhão a segunda dose ou a dose única. E 29 mil a dose de reforço. No total, foram mais de 1,7 milhão de vacinados. Até agora, 144.712.060 pessoas receberam a primeira dose, 67,84% da população; 86.849.107 estão completamente imunizadas com duas doses ou a dose única: 40,71%. Pouco mais de 550 mil pessoas tomaram a dose de reforço. Ou 0,26% da população. No mapa, os estados mais adiantados na vacinação completa aparecem em verde escuro. Veja todos os detalhes em g1.com.br/coronavirus.

Em Aracaju, 3.694 pessoas se vacinaram neste sábado (25). Dia D da vacinação contra a Covid-19 em Sergipe Divulgação/SES/Flávia Pacheco Neste sábado (25), ocorreu o Dia D da Vacinação contra a Covid-19 em Sergipe. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, foram aplicadas 19.703 doses, entre primeira, segunda e reforço. Sergipe não registra mortes pela Covid-19 neste sábado Mapa: mortes e casos pela Covid-19 em Sergipe Cada município teve autonomia para organizar as ações, que tiveram como objetivo aumentar a cobertura vacinal da população adulta para tentar atingir a meta de 90% da população com pelo menos uma dose do imunizante. Mais de 1,8 mil adolescentes se vacinam em N. S do Socorro após longa espera em filas Em muitas cidades, adolescentes também foram vacinados, como foi o caso de Nossa Senhora do Socorro, que teve longa fila e espera no primeiro dia de vacinação de adolescentes sem comorbidades em um shopping. No dia, 1.830 pessoas deste público foram vacinados com a primeira dose, além de 609 adultos — sendo 336 com a primeira dose e 273 com a segunda. Em Aracaju, 3.694 pessoas se vacinaram, sendo com a primeira dose 1.200 adultos e 1.078 adolescentes de 15 a 17 anos. As outras aplicações foram: 1.467 para a segunda dose e 138 doses de reforço. A capital é um dos 25 municípios que chegaram ou ultrapassaram os 70% de imunização com a primeira dose. Desde o início da vacinação, em janeiro deste ano, o estado vacinou 68,90% da população com a primeira dose e 36,89% com a segunda ou dose única.

♪ Juçara Marçal ainda nem lançou o segundo álbum solo – Delta Estácio blues, programado para chegar ao mercado fonográfico na quinta-feira, 30 de setembro – e já tem outro lançamento fonográfico solo a caminho. A artista planeja lançar no primeiro semestre de 2022 um EP com quatro músicas inéditas que não entraram na safra predominantemente autoral de Delta Estácio blues, disco gravado com produção musical de Kiko Dinucci. O repertório do EP será composto por músicas de Alzira E, de Jadsa e da própria Juçara Marçal (uma parceria com Clima e outra com Dinucci).

Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de Minas Gerais. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de Minas Gerais.

Confira as matérias do JL2 deste sábado, 25 de setembro Confira as matérias do JL2 deste sábado, 25 de setembro

Crimes estavam sendo cometidos em Várzea Grande. Mulher flagrada pela polícia é a dona da conta bancária que recebia os valores transferidos. Uma mulher foi presa nessa sexta-feira (24) em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, suspeita de integrar uma quadrilha que nos últimos meses cometeu uma nova modalidade de crime, o roubo via PIX. Conforme as investigações, os bandidos, armados, invadem residências e forçam as vítimas a fazer transferências bancárias. Câmeras de segurança registraram um dos crimes, em Várzea Grande. Nas imagens, é possível ver os criminosos deixando a casa com o carro da vítima. Antes, ela foi forçada a transferir valores da conta dela, via PIX. Quadrilha invade casas e obriga vítimas a fazerem transferência por PIX “Dois desses integrantes pularam o muro de uma residência em Várzea Grande. Munidos de arma de fogo, renderam os familiares e ordenaram que um desses familiares acessasse a sua conta bancária via aplicativo e informasse a senha", explicou a delegada Elaine Fernandes, da Delegacia de Roubos e Furtos (Derf) de Várzea Grande. A Polícia Civil conseguiu identificar para qual conta os valores estavam sendo direcionados e prendeu em flagrante a dona dessa conta. “Ela sabia de todo o planejamento, ela participou de tudo", disse a delegada. Imagens mostram bandidos saindo de uma casa levando o carro da vítima, em Várzea Grande Reprodução/TVCA A mulher presa foi autuada por receptação, roubo majorado e associação criminosa armada.
Segundo o instituto, a maioria diz que a pandemia está controlada de alguma forma – e mesmo assim, defende que o uso de máscaras permaneça obrigatório – como também defendem os infectologistas. Datafolha divulga pesquisa sobre o uso de máscara e percepção dos brasileiros em relação à pandemia O Datafolha divulgou os resultados de uma pesquisa sobre o uso de máscaras e sobre a percepção dos brasileiros em relação à pandemia de Covid no país. Segundo o instituto, a maioria diz que a pandemia está controlada de alguma forma – e mesmo assim, defende que o uso de máscaras permaneça obrigatório – como também defendem os infectologistas. A pesquisa foi publicada na edição deste sábado do jornal “Folha de S. Paulo”. A margem de erro da pesquisa é dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A primeira pergunta do Datafolha foi a seguinte: na sua opinião, a pandemia do coronavírus está totalmente controlada, em parte controlada ou está fora de controle? Em janeiro, 62% responderam que a pandemia estava fora de controle. Em março, o percentual subiu para 79%. Em maio, caiu para 53%. Depois, para 41%, em julho. E, agora, em setembro, o índice dos que acham que a pandemia está fora de controle caiu mais uma vez, para 20%. Os que consideravam a pandemia em parte controlada eram 33%. O percentual caiu para 18%. Depois, subiu para 42%. Para 53%. E agora, o índice subiu novamente, para 71% Em janeiro, 3% avaliaram a pandemia no Brasil como totalmente controlada. O índice passou para 2%. 4%, 5% e agora, em setembro, são 9%. Os que não souberam eram 2% em janeiro. Depois, 1% nos demais levantamentos. O instituto também perguntou aos entrevistados o seguinte: na sua opinião, o uso de máscara deveria ou não ser obrigatório enquanto a pandemia não estiver totalmente controlada? 91% responderam que sim – que o uso de máscara deve ser obrigatório enquanto a pandemia não estiver totalmente controlada; 9% disseram que o uso não deve ser obrigatório. O instituto Datafolha perguntou ainda: você se sente muito, um pouco ou nada protegido com as vacinas contra Covid? 42% responderam que se sentem muito protegidos com as vacinas; 48%, um pouco protegidos; 10% disseram que se sentem nada protegidos. O Datafolha ouviu presencialmente 3.667 pessoas, em 190 municípios, de 13 de 15 de setembro.
Auditoria revela gastos com destruição de vacinas e remédios extraviados. Respiradores sumiram durante pandemia. Pasta diz estar ciente e que vai se manifestar dentro do prazo. CGU flagra desperdício de dinheiro público no Ministério da Saúde em 2020 Um relatório de auditoria sobre a gestão do Ministério da Saúde elaborado pela Controladoria Geral da União (CGU) apontou muitos exemplos de desperdício de dinheiro público em 2020. Um dos pontos que chamaram a atenção dos técnicos da CGU foi a grande quantidade de remédios e vacinas incinerados ou extraviados. Segundo o documento, R$ 21 milhões foram gastos com a destruição, por exemplo, de mais de 25 toneladas de vacina Pentavalente e quase quatro toneladas de vacina Tríplice. No total, em dez meses, foram jogadas no lixo quase 30 toneladas de medicamentos. Os técnicos também registraram que milhões de doses de vacinas perderam o prazo de validade antes de serem usadas, principalmente contra a febre amarela e hepatite, além de medicamentos de alto custo. Ao todo, foram perdidos 750 lotes de medicamentos. Na lista, remédios vencidos desde julho de 2009, um prejuízo de R$ 172 milhões. Os técnicos também verificaram que 66 doses de um medicamento de alto custo - vendido a mais de R$ 12 mil a dose - tinham simplesmente sumido. Saíram do estoque sem destino conhecido, provocando prejuízo de R$ 840 mil. A auditoria mostrou também que equipamentos decisivos na luta contra a Covid, como respiradores, também sumiram. Os técnicos estranharam que o sistema não tinha os comprovantes de entrega de quase 5 mil respiradores, o que obrigou a CGU a rastrear os equipamentos em estados e municípios. No fim, ninguém soube dizer onde foram parar 336 respiradores, que custaram mais de R$ 18 milhões. No documento, a CGU afirmou que "resta evidenciado que os controles das doações efetuadas pelo Ministério da Saúde são inadequados, pois verificou-se, além da ausência de comprovantes de entrega, de guias de remessa e de termos de doação nos processos SEI, a ausência de comprovação de recebimento dos aparelhos" e conclui que existem "graves inconsistências entre os registros de entrega do Ministério da Saúde e os registros de recebimento dos entes federativos". No relatório, a CGU ainda lembra que, ao longo do ano passado, acompanhou parte dos processos de compras do Ministério da Saúde e que já tinha feito alertas para evitar prejuízos, mas destaca que os avisos não foram levados em conta. A auditoria vai servir de base para que que o Tribunal de Contas da União (TCU) julgue os gastos da pasta em 2020. O professor de gestão em saúde da FGV, Adriano Massuda, lembra que os recursos púbicos que foram desperdiçados poderiam ter ajudado a salvar vidas durante a pandemia. "Então, o Ministério da Saúde que tem um papel fundamental na coordenação dessa que é a maior crise sanitária da nossa época tratou insumos essenciais com descaso, com despreparo. É com muita tristeza que a gente vê que o nosso país viveu essa situação e com desperdício de recursos tão importantes", disse. O Ministério da Saúde afirmou que está ciente do processo e que vai se manifestar dento do prazo estabelecido. VÍDEOS: veja mais notícias de política
Um dos pontos que chamaram a atenção dos técnicos foi a quantidade grande de remédios e vacinas incinerados ou extraviados. Também sumiram equipamentos decisivos na luta contra a Covid. Ministério afirma que está ciente do processo e que vai se manifestar dentro do prazo estabelecido. CGU flagra desperdício de dinheiro público no Ministério da Saúde em 2020 O órgão do governo federal encarregado de defender o patrimônio público encontrou muitos exemplos de desperdício de dinheiro no Ministério da Saúde em 2020. Um dos pontos que chamaram a atenção dos técnicos da Controladoria Geral da União foi a quantidade grande de remédios e vacinas incinerados ou extraviados. Foram R$ 21 milhões desperdiçados com a destruição, por exemplo, de mais de 25 toneladas de vacina pentavalente. E quase 4 toneladas de vacina tríplice. No total, em dez meses, foram jogadas no lixo quase 30 toneladas de medicamentos. Os técnicos também registraram que milhões de doses de vacinas perderam o prazo de validade antes de serem usadas, principalmente contra febre amarela e hepatite, além de medicamentos de alto custo. Ao todo foram perdidos 750 lotes de medicamentos. Na lista, remédios vencidos desde julho de 2009. Um prejuízo de R$ 172 milhões. Os técnicos também verificaram que 66 doses de um medicamento de alto custo - mais de R$ 12 mil a dose - tinham simplesmente sumido. Saíram do estoque sem destino conhecido. E lá se foram mais R$ 840 mil. Também sumiram equipamentos decisivos na luta contra a Covid, como respiradores. Os técnicos estranharam que o sistema não tinha os comprovantes de entrega de quase cinco mil respiradores. O que obrigou a CGU a rastrear os equipamentos em estados e municípios. No fim, ninguém soube dizer onde foram parar 336 respiradores, que custaram mais de R$ 18 milhões. No documento a CGU afirmou que os controles das doações efetuadas pelo Ministério da Saúde são inadequados. E conclui que existem graves inconsistências entre os registros de entrega do Ministério da Saúde e os registros de recebimento dos entes federativos. No relatório, a CGU ainda lembra que, ao longo de 2020, acompanhou parte dos processos de compras do Ministério da Saúde e que já tinha feito alertas para evitar prejuízos. Mas que os avisos não foram levados em conta. A auditoria vai servir de base que o Tribunal de Contas da União julgue os gastos do ministério em 2020. O professor em gestão de saúde André Massuda lembra que os recursos públicos que foram desperdiçados poderiam ter ajudado a salvar vidas durante a pandemia. “O Ministério da Saúde, que tem um papel fundamental na coordenação dessa que é a maior crise sanitária da nossa época, tratou insumos essenciais com descaso, com despreparo. Então, é com muita tristeza que a gente vê que o nosso país viveu essa situação e com desperdício de recursos tão importantes’, afirma André Massuda. O Ministério da Saúde afirmou que está ciente do processo e que vai se manifestar dentro do prazo estabelecido.

Grupo enganava moradores para clonar WhatsApp e roubar dados; investigações começaram em Sorocaba, onde algumas vítimas foram identificadas. Polícia prende parte de quadrilha que usava nome do Ministério da Saúde para aplicar golpes As vítimas de golpistas que se passaram por agentes do Ministério da Saúde em Sorocaba (SP) e na capital usando o "golpe da Covid" afirmam que o grupo tinha um roteiro de perguntas predefinido. A quadrilha estava há nove meses aplicando golpes. Parte do grupo foi presa no dia 13 de setembro, mas há outros envolvidos que ainda não foram encontrados. As investigações apontam que, usando o nome do Ministério da Saúde, quase R$ 500 mil já foram roubados pelos bandidos. De acordo com as vítimas, que preferiram não ser identificadas, os golpistas faziam perguntas sobre o perfil da pessoa e, em seguida, enviavam números dizendo que eram protocolos de atendimento. Porém, o que eles enviavam eram códigos que, uma vez compartilhados, permitiam acesso ao WhatsApp da vítima. "Eles me perguntaram se eu já tinha pegado Covid, se alguém da minha família tinha, alguém na minha casa que tinha alguma comorbidade e de repente tinha pegado também. Eles perguntaram se a gente estava tomando todos os cuidados, usando máscara álcool em gel", explica uma das vítimas. VEJA TAMBÉM: Hospital apura golpes de falsos médicos que pedem dinheiro Golpistas se passam por agentes da Vigilância Sanitária para clonagem de celulares Golpistas se passam por funcionários da Saúde para roubar dados Golpe do WhatsApp x pesquisa do Ministério: saiba como não ser vítima de crime WhatsApp: roubo da conta, golpe do pagamento antecipado e rastreamento de mensagens Uma troca de mensagens entre os bandidos fez com que uma pessoa que tirasse R$ 1.300 da poupança e transferisse para a quadrilha. A vítima recebeu uma mensagem como sendo da própria sogra. "Eu recebi a mensagem falando: "Oi, tudo bem, você pode falar?". E começaram as mensagens de texto me pedindo dinheiro, que ela tinha uma conta pra pagar, um boleto, e que tinha esgotado as transações bancárias. Eu nem pensei. Minha sogra, fiquei imaginando milhões de coisas. Transferi o dinheiro. Comecei a desconfiar quando começaram a pedir mais dinheiro", conta. Com medo do golpe, cerca de 1.200 pessoas já se negaram a participar da pesquisa que o Ministério da Saúde realmente está fazendo em 274 municípios de todo o país. Prisões Policiais da Deic de Sorocaba cumpriram mandados contra quadrilha que se passava por agentes do Ministério da Saúde Polícia Civil/Deic/Divulgação Os suspeitos de participar de uma quadrilha que roubava dados de moradores em Sorocaba (SP) e na capital usando o "golpe da Covid" tiveram a prisão preventiva decretada na quarta-feira (22). Cinco pessoas foram presas em setembro. De acordo com a polícia, foram 16 mandados no total, sendo 11 de busca e apreensão e cinco de prisão. Suspeitos de se passarem por agentes do Ministério da Saúde são presos em Sorocaba Segundo policiais da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic), os criminosos se passavam por agentes do Ministério da Saúde e abordavam os moradores em uma falsa pesquisa sobre a Covid. No total, mais de 50 pessoas foram vítimas do grupo. As prisões foram feitas no bairro de Itaquera, em São Paulo (SP). Diversos dispositivos eletrônicos e comprovantes das fraudes foram apreendidos. Investigação As investigações começaram há quatro meses em Sorocaba, onde algumas vítimas foram identificadas. A polícia informou que desarticulou tanto o núcleo operacional como o núcleo financeiro da associação criminosa, que causou mais de R$ 400 mil em prejuízo. Conforme a polícia, os criminosos se passavam por funcionários do Ministério da Saúde e diziam que estavam fazendo uma pesquisa sobre o novo coronavírus. O objetivo da ação era conseguir dados dos moradores abordados para clonar o WhatsApp deles. Com isso, os criminosos pediam dinheiro em nome dos moradores para parentes e amigos. Segundo o delegado Rodrigo Ayres, o grupo usava várias contas bancárias para evitar que as transações fossem rastreadas. Polícia Civil de Sorocaba cumpre mandados contra criminosos que se passavam por agentes de saúde para aplicar golpes Divulgação Pesquisa oficial O Ministério da Saúde começou a fazer, em maio deste ano, um estudo sobre a prevalência do novo coronavírus em 274 municípios por meio da coleta e análise de sangue de mais 211 mil pessoas. O objetivo da PrevCOV é estimar quantas pessoas tiveram a Covid-19 no Brasil para compreender a doença e seus fatores de risco a fim de combatê-la e preveni-la. Segundo a polícia, os criminosos estão aproveitando a pesquisa oficial para se passar por agentes da saúde e aplicar golpes. Saiba como não ser vítima do crime. VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM Veja mais notícias da região no g1 Sorocaba e Jundiaí

Objetivo do governo é que as permissões, que terão três meses de duração, ajudem a reduzir problemas com falta de trabalhadores na área do transporte e outros setores-chave da economia britânica. Após muitos produtos esgotarem em supermercados, postos de gasolina registraram filas no Reino Unido Steve Parsons/PA via AP O governo do Reino Unido informou neste sábado (25) que vai conceder até 10.500 vistos de trabalho provisórios para contornar a escassez de mão de obra. As permissões serão de três meses, de outubro a dezembro, e têm como objetivo mitigar a falta de trabalhadores na área do transporte e em setores-chave da economia britânica, como a criação de aves de granja. Nos últimos dias e apesar das tentativas do governo de tranquilizar a população, uma multidão de britânicos lotou postos de gasolina após muitos produtos esgotarem em lojas e supermercados. França vai dobrar doações de vacinas anticovid a países pobres, diz presidente Holandeses protestam contra passaporte de vacina para entrar em bares e restaurantes A decisão de conceder os vistos vai no sentido contrário à diretriz defendida pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, cujo governo entende que o Reino Unido não deve depender de mão de obra estrangeira. Durante meses, o Executivo vem tentando evitar recorrer aos trabalhadores de fora, apesar das advertências de vários setores econômicos e de uma falta estimada em 100.000 caminhoneiros. O secretário dos Transportes do Reino Unido, Grant Shapp, afirmou que, além dos vistos de trabalho, outras medidas excepcionais serão adotadas para garantir o abastecimento antes das festas de fim de ano. Nas próximas semanas, os examinadores do Ministério da Defesa serão mobilizados para aprovar milhares de permissões de veículos de transporte de mercadorias. O Ministério da Educação e suas agências vão desbloquear milhões de libras esterlinas para formar 4.000 caminhoneiros. Shapps também pediu aos empregadores que colaborem, "melhorando as condições de trabalho e os salários para reter os novos motoristas". Também serão enviadas um milhão de cartas para pedir às pessoas em posse de carteiras de motorista de caminhões e que não os estejam usando a voltar ao trabalho. Boris Johnson precisa lidar com uma pressão crescente. A crise da Covid-19 e as consequências relacionadas ao Brexit têm acentuado a escassez, enquanto os preços da energia dispararam. Fábricas, restaurantes e supermercados têm sido afetados pela falta de caminhoneiros há meses. A rede de fast-food McDonald's ficou sem bebidas e milk-shakes no mês passado. Sua concorrente, a KFC, foi obrigada a retirar alguns itens de seu cardápio, enquanto a rede Nando's teve que fechar provisoriamente dezenas de restaurantes porque não tinha frangos suficientes para atender à demanda. Falta de trabalhadores provoca impacto na cadeia de suprimentos no Reino Unido

Assista aos vídeos do telejornal. Assista aos vídeos do telejornal.

Neste sábado, houve repescagem na capital e dose de reforço para quem tem acima de 84 anos. Mais de 120 mil doses foram aplicadas. Rio tem sábado com recorde de vacinação contra covid-19 A cidade do Rio chegou neste sábado (25) a 98,2% das pessoas acima de 12 anos com primeira dose da vacina contra a Covid-19. Ao todo, 62,1% já estão totalmente imunizados, com segunda dose ou dose única. Foi o último sábado de repescagem da vacinação para qualquer um com mais de 12 anos na capital. E de recorde de aplicações. Foram mais de 120 mil doses. "É claro que, a partir da semana que vem, qualquer pessoas vai poder continuar buscando os postos de saúde pra vacinar a primeira dose", disse Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde do Rio. Dose de reforço Além dos que foram tomar a primeira dose, idosos com mais de 84 anos receberam a dose de reforço. Esse vai ser o foco da campanha a partir de agora. Veja como vai ser a vacinação de reforço nesta semana. Calendário de vacinação de reforço contra a Covid-19 na cidade do Rio Reprodução

Taxa de ocupação de leitos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na rede pública atual é de 33,24%. MT registrou mais 3 mortes e 278 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas Tchélo Figueiredo/Secom-MT Mato Grosso registrou, nas últimas 24 horas, mais três mortes causadas por complicações da covid-19 e 278 novos casos da doença. Os dados são do Painel Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) e foram divulgados neste sábado (25). Desde o início da pandemia, foram 13.765 mortes provocadas pelo novo coronavírus e 534.389 registros da doença no estado. Outras 526.350 pessoas já se recuperaram da infecção, ou seja, 96,62%. A taxa de ocupação de leitos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na rede pública atual é de 33,24%. São 249 leitos do SUS disponíveis em hospitais no estado. Já o índice de ocupação de enfermarias adultos é de 13%. Dentre os dez municípios com maior número de casos de covid-19 estão: Cuiabá (110.543), Várzea Grande (37.671), Rondonópolis (37.587), Sinop (25.825), Sorriso (18.165), Tangará da Serra (17.684), Lucas do Rio Verde (15.576), Primavera do Leste (14.674), Cáceres (11.785) e Barra do Garças (10.552). Média móvel Segundo o Ministério da Saúde, em relação à média móvel Mato Grosso tem registrado média diária de 524 casos de covid-19 nos últimos 14 dias, uma queda de 23,32% em comparação com as duas semanas anteriores. A média móvel de óbitos mortes está em 10 mortes diárias, uma redução de quase 23,94% nas últimas duas semanas.

Região soma 170.114 casos confirmados e 7.044 mortes causadas pela doença desde o início da pandemia. Baixada Santista ultrapassa 170 mil casos de Covid-19 e registra três mortes pela doença em 24h Breno Esaki/Agência Saúde DF A Baixada Santista, no litoral de São Paulo, ultrapassou a marca de 170 mil casos confirmados de Covid-19 após registrar 115 novas confirmações neste sábado (25). De acordo com os boletins epidemiológicos divulgados pelas prefeituras, foram registradas três novas mortes causadas pela doença no período de 24 horas. Ao todo, a região soma 170.114 casos confirmados e 7.044 mortes causadas pela doença desde o início da pandemia. Ainda há 4.235 casos suspeitos e 129 mortes em investigação. O número de internações, segundo os boletins das prefeituras, é de 79, entretanto, o número total real pode ser maior, já que algumas cidades informam apenas os pacientes internados em UTI ou leitos do SUS (veja tabela abaixo). Mortes e casos de Covid nas cidades da Baixada Santista Santos é a cidade com o maior número de internações, e neste sábado registrou leve aumento, passando de 85 para 92 pessoas hospitalizadas. A taxa geral de ocupação dos 409 leitos Covid-19 disponíveis está em 22%. Entre os 216 leitos de UTI, a ocupação é de 22%. Na rede SUS, a taxa é de 24% e na rede privada, 19%. Praia Grande foi o único município a registrar novas mortes pela doença, três ao todo. A Baixada Santista soma mais de 146,5 mil pessoas que se recuperaram da Covid-19. Confira os casos na Baixada Santista * O número de internados em Cubatão é referente apenas a pacientes de UTI e o de Guarujá é referente a internações do SUS, dados repassados pelas prefeituras. VÍDEOS: as notícias mais vistas do G1

Veja as dezenas sorteadas: 09 - 16 - 34 - 36 - 49 - 60. A Caixa ainda não informou se há ganhadores ou se o prêmio acumulou. Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até as 19h Marcelo Brandt/G1 O sorteio do concurso 2.412 da Mega-Sena foi realizado na noite deste sábado (25) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. O prêmio estimado é de R$ 7 milhões. Veja as dezenas sorteadas: 09 - 16 - 34 - 36 - 49 - 60. O próximo concurso (2.413) será na terça-feira (28). A Caixa ainda não divulgou a estimativa do prêmio. VÍDEO: veja como funcionam as apostas da Mega-Sena Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa. VÍDEOS: os vídeos mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

Espetáculo é gratuito e acontece neste domingo (26), às 11h. Ingressos devem ser retirados na bilheteria do local 1h antes do início do evento. O Teatro Castro Mendes, em Campinas (SP) Toninho Oliveira/PMC Um concerto com repertório de trilhas sonoras de filmes e games é apresentado gratuitamente neste domingo (26), às 11h, no Teatro Municipal "José de Castro Mendes", em Campinas (SP). A entrada é gratuita. Para participar, é preciso retirar um par de ingressos na bilheteria do local uma hora antes do início do evento. A apresentação é da Orquestra Educacional de Piracicaba. Ao longo de 85 minutos de atração, além dos filmes e games, serão apresentadas pelos músicos canções de obras sinfônicas conhecidas e da musica popular brasileira (MPB). Na programação, os artistas também convidam o público a participar de uma atividade educativa. Os convidados sobem no palco e se aproximam dos instrumentos de sua escolha, enquanto que o regente explica a funcionalidade de cada uma das famílias musicais da orquestra. De acordo com a organização, cada pessoa tem direito a retirar um par de bilhetes para o evento. O público é limitado a 198 pessoas e, além disso, outros protocolos de segurança contra a Covid-19 são adotados na apresentação. Concerto da Orquestra Educacional de Piracicaba Local: Teatro Municipal "José de Castro Mendes" Endereço: Rua Conselheiro Gomide, 62 - Vila Industrial, Campinas Data: domingo (26) Horário: 11h Entrada: gratuita. Ingressos devem ser retirados na bilheteria do teatro uma hora antes do início do evento. VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região Veja mais notícias da região no G1 Campinas

Desde o começo da pandemia, estado tem 6.520 mortes decorrentes do coronavírus. Teste de Covid-19 é aplicado para detecção de casos da doença Divulgação Rondônia teve 197 novos casos diagnosticados e registrou uma morte por Covid-19 neste sábado (25). Os dados são do Ministério da Saúde. O boletim diário da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa) ainda não foi divulgado. Ao todo, o estado tem 6.520 vítimas da doença desde o início da pandemia. Rondônia também contabiliza 265.2469 pessoas que já tiveram, ou ainda estão com a doença, desde o início da pandemia em março de 2020. *No dia 9 de setembro não houve publicação de boletim pela Sesau e Agevisa por problemas técnicos no banco de dados do e-sus. Também foi informado que o estado tinha até sexta (24): Pacientes recuperados – 258.133 Casos ativos – 620 Pacientes internados – 65 Testes aguardando resultado do Lacen - 89 Vacinados O boletim aponta que 1.115.435 pessoas tomaram a primeira dose de vacina contra Covid-19 em Rondônia e 552.918 se imunizaram com a segunda. Veja mais notícias de Rondônia
Confira destaques do JAM 2ª Edição deste sábado, 25 de setembro de 2021. Confira destaques do JAM 2ª Edição deste sábado, 25 de setembro de 2021.
Participe com Aline Ferreira pelo número (96) 99112-6310. Assista ao JAP1 deste sábado Participe com Aline Ferreira pelo número (96) 99112-6310. O G1 transmite ao vivo, diariamente, os telejornais Jornal do Amapá - 1ª edição, às 12h, e o Jornal do Amapá - 2ª edição a partir de 19h10.. De terça à sexta-feira, o portal também transmite o quadro de entrevistas G1 na Rede, a partir de 13h30.
Outras duas ficaram feridas. PM diz que houve uma troca de tiros na saída de um baile funk, enquanto, as famílias negam. Duas pessoas morreram em ação da PM Duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas durante uma ação policial na madrugada deste sábado (25), no bairro de Anchieta, na Zona Norte do Rio. Willian Vasconcellos da Silva e Samuel Vicente morreram atingidos por disparos após deixarem um baile funk, na comunidade do Chapadão. A Delegacia de Homicídios investigará o caso. Nesta tarde de sábado, os policiais militares prestaram depoimento à Polícia Civil e afirmaram terem sido atacados e reagido. De acordo com a PM, foram apreendidas "duas pistolas, carregadores, munições, um conversor para submetralhadora, dois rádios comunicadores e material entorpecente". Camily da Silva Apolinário, outra ferida, foi levada para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde passa por cirurgias. O quarto ferido não foi identificado até às 20h deste sábado. Segundo amiga da família de um dos baleados, Samuel e Camily eram namorados e estavam em um baile funk, na comunidade do Chapadão. A jovem teria passado mal e desmaiado. Samuel ligou para o padrasto, que foi ao local de moto a fim de levá-la até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ricardo de Albuquerque. No caminho, os três, que estavam na motocicleta, foram surpreendidos por uma equipe de policiais militares que já teriam atirado. Os três e mais uma quarta pessoa, ainda não identificada, foram baleados e levados para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Camily foi transferida para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, onde passa por uma cirurgia. A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar afirmou que os PMs do 41ºBPM (Irajá) "foram atacados a tiros quando realizavam patrulhamento pela rua Alcobaça, em Anchieta". "A ação teve objetivo de coibir o roubo de veículos e carga na região. Posto que a análise dos dados de inteligência da unidade mostraram que houve um aumento destes crimes na área", informou em nota. "Após estabilizar a situação, a equipe localizou três suspeitos feridos. Eles foram socorridos ao Hospital Estadual Carlos Chagas. Com os acusados, os policiais apreenderam duas pistolas, carregadores, munições, um conversor para submetralhadora, dois rádios comunicadores e material entorpecente."

Ocorrência diz que Amanda Pedrassa, de 35 anos, estava sem cinto de segurança no banco traseiro do carro, que capotou. Motorista e outra passageira tiveram ferimentos leves. Modelo Amanda Pedrassa de Souza, de 35 anos, morreu após um acidente de carro na BR-153, em Anápolis Reprodução/Instagram A modelo paulista Amanda Pedrassa de Souza, de 35 anos, morreu após um acidente de carro na BR-153, em Anápolis, a 55km de Goiânia. De acordo com o boletim de ocorrências, ela estava sem cinto de segurança no banco traseiro do carro, que perdeu o controle da direção e capotou. O acidente aconteceu na madrugada deste sábado (25). A modelo viajava com um casal de tios, que tiveram apenas ferimentos leves. Conforme a polícia, ela chegou a ser socorrida, mas morreu em um hospital da cidade. De acordo com a polícia, o trio estava na rodovia sentido Goiânia - Anápolis, quando o motorista perdeu o controle da direção ao passar por um “espelho d’água” e capotou. LEIA TAMBÉM: Motorista de caminhão carregado com gás líquido é atacado por centenas de abelhas após cair de ponte na BR-153 VEJA VÍDEO: Idoso é atropelado e gira sobre capô de carro em cruzamento de Anápolis ASSISTA: Motociclista gira no ar e morre após ser atingido por carro que entrou na contramão Amanda Pedrassa de Souza, de 35 anos, era modelo comercial e morreu em acidente de carro, em Anápolis Reprodução/Instagram O corpo de Amanda Pedrassa foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade e liberado pelos familiares no início desta tarde. Ela era modelo comercial e visitava Goiás na companhia de parentes. Nas redes sociais, amigos e familiares comentam na última foto dela incrédulos com o ocorrido e desejando forças à família. "Nossa estou sem acreditar. Que Deus conforte o coração da família. Meus sentimentos", disse uma seguidora. "Eu não sei o que dizer. O coração está partido, Amanda. Que Deus te receba e conforte a sua família. Você fará muita falta nos nossos domingos em São Paulo", comentou uma amiga. Amigos e familiares lamentam morte de modelo paulista que morreu em acidente de carro, em Anápolis Reprodução/Instagram Veja outras notícias da região no g1 Goiás. VÍDEOS: reportagens sobre trânsito em Goiás

Crime ocorreu na tarde deste sábado no bairro Araxá, na Zona Sul de Macapá. Criança vai passar por cirurgia. Vídeos de câmeras de segurança são analisados pela polícia, que tenta identificar criminosos Reprodução/Internet Um homem de 40 anos foi executado a tiros e na mesma ocorrência o neto dele de 3 anos e a filha de 23 ficaram feridos na tarde deste sábado (25) na Zona Sul de Macapá. De acordo com a Polícia Militar (PM), 3 criminosos atiraram contra as vítimas e fugiram. O estado de saúde da criança é estável. O crime ocorreu por volta das 16h em uma área periférica no bairro Araxá, conhecida como "Beco da Felicidade". O homem morto foi identificado como sendo Erivan Souto da Silva, de 40 anos, que estava foragido da prisão, segundo a polícia. De acordo com o Centro Integrado de Operações em Defesa Social (Ciodes), três homens encapuzados chegaram em um carro, perseguiram Silva e atiraram contra todas as vítimas. O homem executado era pai da mulher que foi baleada nas pernas e avô do menor atingido com um tiro nas costas. Mãe e filho foram socorridos por populares. A mulher foi levada para um hospital particular e a criança foi atendida no Hospital de Emergência (HE). De acordo com o Ciodes, o menino vai passar por uma cirurgia e o estado de saúde dele é estável. O 1º Batalhão da PM fez buscas no bairro a procura dos criminosos mas eles não foram localizados. Vídeos de câmeras de segurança flagraram os envolvidos e são usados pela Polícia para identificá-los. A Polícia Técnico-Científica fez a perícia no local e a remoção do corpo de Silva. O caso foi encaminhado para a Polícia Civil, que dará andamento às investigações. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:

Responsável pela investigação, delegado João Luiz Evangelista, afirmou em representação que o chefe da Polícia Civil procurou secretário de Segurança 'para interferir na força-tarefa'. Delegado-geral da Civil tentou interferir em investigação sobre sequestro de jornalista O delegado-geral da Polícia Civil de Roraima, Herbert Amorim Cardoso, tentou interferir nas investigações sobre o sequestro do jornalista Romano dos Anjos, cita trecho da representação que o delegado João Luiz Evangelista, responsável pela força-tarefa que investiga o caso, fez à Justiça. O g1 e a Rede Amazônica tiveram acesso à representação de 47 páginas assinada por Evangelista. Foi neste documento que ele identificou e pediu a prisão de policiais militares por suspeita de envolvimento no sequestro. Os PMs tinham ligação com o deputado Jalser Renier (SD). No documento, o João Evangelista cita que, em novembro, Herbert Cardoso, e o delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Eduardo Wayner, estiveram na Secretaria de Segurança Pública (Sesp) "em busca de auxílio do Secretário de Segurança para interferir na força-tarefa". "Conforme a apuração, a cúpula da Polícia Civil reuniu-se com o Coronel Edison Prola, Secretário de Segurança, para solicitar adesão política com a finalidade de modificar a equipe de investigação e, assim, atrapalhar o andamento do inquérito policial", cita trecho da representação. Trecho da representação da força-tarefa feita à Justiça Reprodução A tentativa de interferência foi relatada a João Evangelista pelo próprio secretário de Segurança. Em depoimento à força-tarefa, Prola afirmou ter recebido os dois delegados na manhã do dia 26 de novembro, onde foi feito o pedido. "Na manhã do dia 26 de novembro, recebeu em seu gabinete os delegados de polícia civil HERBERT AMORIM e EDUARDO WAYNER Delegado-Geral de Polícia Civil e Delegado-Geral Adjunto de Polícia Civil, respectivamente; QUE, na ocasião, os dois delegados solicitaram ao depoente apoio para tentar mexer na equipe da força-tarefa, no sentido de retirar da investigação o presidente dos autos, Delegado de Polícia Civil João Luiz Evangelista". O titular da Sesp, ainda conforme pontuou Evangelista na representação à Justiça, "teria proferido uma ameaça por intermédio de um “recado” repassado pelo Chefe da Polícia Civil". Consta no documento um trecho do depoimento de Prola em que ele afirma "(...) QUE, se recorda que o Delegado Herbert Amorim disse para o depoente que o deputado JALSER RENIER havia dito o seguinte: “se essa investigação continuar, vai morrer gente (...)." Procurado, o delegado disse à Rede Amazônica que não teve acesso aos autos do inquérito, por isso não teria como se manifestar. Ele afirmou que sempre trabalhou de forma integrada no governo e que "está com a consciência tranquila e que trabalhou para manter a força-tarefa." O delegado-geral adjunto não respondeu ao pedido enviado pela reportagem. O coronel Prola disse que não iria se pronunciar porque o caso corre em segredo de Justiça. A assessoria de Jalser Renier também foi questionada, mas não respondeu até a última atualização. Ainda segundo o delegado que investiga o sequestro, em novembro, na semana de criação da força-tarefa o deputado Jalser fez uma visita ao palácio do Governo, na companhia de policiais investigados "com o fim de exigir a interrupção dos trabalhos policiais." Foi neste mesmo período que, segundo o presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (Ale-RR), Soldado Sampaio (PcdoB), Jalser Renier ameaçou o governador Antonio Denraium para barrar a investigação sobre o sequestro de Romano dos Anjos. O governador confirmou a ameaça. João Evangelista cita que tentaiva de inteferência ocorreu em novembro Reprodução Policiais presos No dia 16 de setembro, seis policiais militares, entre eles um coronel, e um ex-servidor da Ale-RR foram presos na operação Pulitzer por suspeita de envolvimento no sequestro do jornalista Romano dos Anjos. A ação foi executada pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Roraima e a Secretaria de Segurança Pública (Sesp). Romano dos Anjos foi sequestrado de casa na noite do dia 26 de outubro e localizado vivo, com braço quebrado e lesões nas pernas, na manhã do dia seguinte.

Levantamento é feito junto a secretarias de Saúde dos estados. Somando a primeira, a segunda, a dose única e a dose de reforço são 231.561.167 doses aplicadas desde o começo da vacinação. Brasil registra 548 mortes por Covid em 24 horas 40,71% da população do Brasil (86.849.107 de pessoas) completaram o esquema vacinal (com a 2ª dose ou dose única), de acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa divulgados às 20h deste sábado (25). Os que estão parcialmente imunizados são 144.712.060 pessoas, o que corresponde a 67,84% da população. Somando a primeira dose, a segunda, a única e a de reforço, são 231.561.167 doses aplicadas desde o começo da vacinação. Mapa da vacinação contra a Covid-19 Balanço de casos e de mortes deste sábado Média móvel de mortes no Brasil e nos estados Mortes e casos por cidade De ontem para hoje, a primeira dose foi aplicada em 683.772 pessoas, a segunda dose foi aplicada em 1.076.313, a dose única 3.009, e a dose de reforço em 29.278, um total de 1.792.372 doses aplicadas. Os estados com maior porcentagem da população imunizada (com segunda dose ou dose única) são o Mato Grosso do Sul (55,28%), São Paulo (53,83%), Rio Grande do Sul (46,35%), Espírito Santo (42,63%) e Paraná (40,84%). Já entre aqueles que mais tem sua população parcialmente imunizada estão São Paulo (78,55%), Distrito Federal (70,17%), Rio Grande do Sul (70,35%), Santa Catarina (69,78%) e Paraná (68,66%). O levantamento é resultado de uma parceria do consórcio de veículos de imprensa, formado por g1, "O Globo", "Extra", "O Estado de S.Paulo", "Folha de S.Paulo" e UOL. Os dados de vacinação passaram a ser acompanhados a partir de 21 de janeiro. Brasil, 25 de setembro Total de pessoas que estão parcialmente imunizadas (que receberam apenas uma das doses necessárias): 144.712.060 (67,84% da população) Total de pessoas que estão totalmente imunizadas (que receberam duas doses ou dose única): 86.849.107 (40,71% da população). Total de doses aplicadas: 231.561.167 (83,88% das doses distribuídas para os estados) 20 estados e o DF divulgaram dados novos: AC, AL, GO, MA, PA, PI, RJ, RS, SC, MT, SP, AM, DF, AP, ES, PB, BA, PE, SE, MS, RN 6 estados não divulgaram dados novos: CE, MG, PR, RO, RR, TO Total de vacinados, segundo os governos, e o percentual em relação à população do estado: G1 AC - 1ª dose: 520.275 (57,37%); 2ª dose + dose única: 270.138 (29,79%); dose de reforço: 0 AL - 1ª dose: 2.019.538 (60,01%); 2ª dose + dose única: 1.083.983 (32,21%); dose de reforço: 0 AM - 1ª dose: 2.484.216 (58,39%); 2ª dose + dose única: 1.430.495 (33,50%); dose de reforço: 704 AP - 1ª dose: 450.612 (51,35%); 2ª dose + dose única: 194.255 (22,13%); dose de reforço: 172 BA - 1ª dose: 9.565.720 (63,83%); 2ª dose + dose única: 5.228.259 (34,89%); dose de reforço: 36.476 CE - 1ª dose: 6.043.241 (65,4%); 2ª dose + dose única: 3.417.397 (36,98%); dose de reforço: 0 DF - 1ª dose: 2.171.354 (70,17%); 2ª dose + dose única: 1.169.146 (37,78%); dose de reforço: 1773 ES - 1ª dose: 2.807.289 (68,33%); 2ª dose + dose única: 1.751.656 (42,63%); dose de reforço: 58.069 GO - 1ª dose: 4.663.554 (64,71%); 2ª dose + dose única: 2.522.973 (35,01%); dose de reforço: 0 MA - 1ª dose: 4.686.889 (65,52%); 2ª dose + dose única: 2.259.709 (38,24%); dose de reforço: 0 MG - 1ª dose: 14.563.102 (68,01%); 2ª dose + dose única: 7.872.730 (36,77%); dose de reforço: 0 MS - 1ª dose: 1.903.339 (67,04%); 2ª dose + dose única: 1.569.427 (55,28%); dose de reforço: 134.141 MT - 1ª dose: 2.184.914 (61,25%); 2ª dose + dose única: 2.735.340 (32,93%); dose de reforço: 1.120 PA - 1ª dose: 4.322.532 (49,25%); 2ª dose + dose única: 2.725.010 (31,05%); dose de reforço: 0 PB - 1ª dose: 2.699.938 (66,50%); 2ª dose + dose única: 1.358.900 (33,47%); dose de reforço: 7.601 PE - 1ª dose: 6.311.482 (65,18%); 2ª dose + dose única: 3.335.079 (34,47%); dose de reforço: 8213 PI - 1ª dose: 2.029.378 (61,70%); 2ª dose + dose única: 1.020.973 (31,04%); dose de reforço: 0 PR - 1ª dose: 7.962.407 (68,66%); 2ª dose + dose única: 4.736.654 (40,84%); dose de reforço: 0 RJ - 1ª dose: 11.611.218 (66,49%); 2ª dose + dose única: 6.584.264 (37,70%); dose de reforço: 0 RN - 1ª dose: 2.333.753 (65,54%); 2ª dose + dose única: 1.370.966 (38,50%); dose de reforço: 3.285 RO - 1ª dose: 1.115.435 (61,45%); 2ª dose + dose única: 552.918 (30,46%); dose de reforço: 0 RR - 1ª dose: 279.938 (42,89%); 2ª dose + dose única: 103.371 (15,84%); dose de reforço: 0 RS - 1ª dose: 8.066.212 (70,35%); 2ª dose + dose única: 5.314.370 (46,35%); dose de reforço: 0 SC - 1ª dose: 5.120.641 (69,78%); 2ª dose + dose única: 2.851.917 (38,86%); dose de reforço: 0 SE - 1ª dose: 1.557.626 (66,61%); 2ª dose + dose única: 855.408 (36,58%); dose de reforço: 3.286 SP - 1ª dose: 36.643.871 (78,55%); 2ª dose + dose única: 25.110.821 (53,83%); dose de reforço: 285.854 TO - 1ª dose: 947.961 (58,98%); 2ª dose + dose única: 480.429 (29,89%); dose de reforço: 0 Quantas doses cada estado recebeu até 24 de setembro AC: 953.833 AL: 4.248.766 AM: 5.243.890 AP: 1.024.640 BA: 17.905.768 CE: 11.687.688 DF: 3.990.846 ES: 5.794.970 GO: 9.127.530 MA: 6.448.451 MG: 29.451.624 MS: 3.906.110 MT: 4.483.456 PA: 10.527.785 PB: 4.331.590 PE: 12.481.090 PI: 3.687.490 PR: 15.810.080 RJ: 20.510.601 RN: 4.663.630 RO: 2.039.088 RR: 762.268 RS: 16.103.156 SC: 10.057.794 SE: 2.837.970 SP: 62.935.706 TO: 1.928.330 As informações sobre população prioritária e doses disponíveis são do Ministério da Saúde. As estimativas populacionais são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consórcio O consórcio de veículos de imprensa foi formado em junho de 2020, em resposta a uma decisão do presidente Jair Bolsonaro de, na ocasião, restringir acesso a dados sobre a pandemia. Os boletins informam, atualmente, o número de pessoas mortas por coronavírus, a quantidade de contaminados e a média móvel, indicador segundo o qual é possível verificar em quais estados a pandemia do novo coronavírus está aumentando, diminuindo ou em estabilidade.

Ponto turístico é patrimônio tombado pelo IEPHA em 2008 e segundo especialistas, as obras podem causar prejuízos ambientais e históricos. Ministério Público investiga asfaltamento em frente ao Parque das Águas, em São Lourenço O Ministério Público abriu inquérito para investigar o asfaltamento das ruas do entorno do Parque das Águas, em São Lourenço (MG). O ponto turístico é patrimônio tombado pelo IEPHA em 2008 e segundo especialistas, as obras podem causar prejuízos ambientais e históricos. O asfalto foi colocado pela prefeitura há cerca de duas semanas em frente ao Parque das Águas. Segundo o defensor público Roger Vieira Feichas, há vários motivos contra a colocação dele no local. "Esta área é uma área tombada pelo IEPHA, a nível de estado e uma área tombada a nível municipal, de tal forma que deveria ter sido feita uma consulta prévia para realizar esse asfaltamento, assim como também na área de aquífero, que deveria ter sido feita uma análise ambiental para analisar se pode ou se não pode e se pode, de que forma deveria ter sido feito", disse o defensor público. O promotor da 4ª Vara de Justiça abriu inquérito civil no dia 13 de setembro para investigar possíveis irregularidades da obra. "Se houve realmente o asfaltamento, é preciso formalizar isso no processo, se esses órgãos foram consultados, o IEPHA pelo estado e o município, porque a praça que fica defronte ao Parque das Águas também é tomada pelo Patrimônio Histórico Municipal, então deveria haver uma consulta prévia desses dois entes para que esse asfaltamento ocorresse. A gente aguarda as informações para adotar as providências que forem necessárias", disse o promotor Leandro Resende Pannaim. MP abre inquérito para investigar asfaltamento de ruas no entorno do Parque das Águas, em São Lourenço Reprodução EPTV Segundo ele, a prefeitura foi notificada e precisa se pronunciar dentro de alguns dias. Conforme o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, a área em torno ao Parque das Águas de São Lourenço é protegida por tombamento desde 2018 e foi asfaltada sem aprovação. O instituto ainda disse que assim que soube da ação, uma notificação foi enviada à prefeitura determinando a paralisação da obra. A prefeitura afirma que o recapeamento asfáltico foi aprovado pela maioria do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, que entendeu que não houve alterações no ambiente e viabilidade. A prefeitura também disse que foi preservada a altimetria e o volume dos imóveis do entorno e que está contribuindo com o Ministério Público. Segundo especialistas, o asfaltamento traz diversos impactos ao meio ambiente, como a contaminação das águas. "O asfalto é um subproduto, um resíduo do petróleo bruto, na sua constituição tem compostos orgânicos, então desde a colocação desse asfalto nesta área, ela está contaminando o solo, as nossas águas e em dias quentes e ensolarados, libera gases nocivos, tanto para a atmosfera quanto para a saúde humana", disse o analista ambiental Braz Leandro. VÍDEOS: Veja tudo sobre o Sul de Minas Veja mais notícias da região no g1 Sul de Minas

Número passa de 60 milhões para 120 milhões de doses, anunciou neste sábado (25) o presidente francês, Emmanuel Macron. Após os EUA anunciarem que dobrarão doação de vacinas, a França anunciou o mesmo neste sábado (25) Official White House Photo by Adam Schultz A França vai doar 120 milhões de doses da vacina contra a Covid a países pobres - o dobro do previsto, prometeu neste sábado (25) o presidente francês, Emmanuel Macron. "A injustiça é que em outros continentes, evidentemente, a vacinação esteja muito atrasada. Por causa de nós, coletivamente. Na África, apenas 3% da população está vacinada, devemos ir mais rápido, com mais força", disse o presidente francês em uma sequência de vídeo difundida durante um show da organização de caridade Global Citizen, em Paris. "A França se compromete a dobrar o número de doses que doará. Passaremos de 60 milhões a 120 milhões de doses doadas. Isto é, mais doses, até agora, das que temos feito no país", acrescentou. Os Estados Unidos anunciaram na quarta-feira (22) a intenção de dobrar suas doações de vacinas contra a Covid, elevando o total das doses prometidas aos países pobres a mais de 1,1 bilhão. "Precisamos que outros países de renda alta ponham em prática suas ambiciosas promessas de doações", reivindicou o presidente americano, Joe Biden. A União Europeia, por sua vez, doará mais de 500 milhões de doses, enquanto a China prevê abastecer o mundo com 2 bilhões de doses, segundo as autoridades do país, que não informaram se o volume se refere a vendas, doações ou ambas.

País contabiliza 594.246 óbitos e 21.340.776 casos de coronavírus desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa com dados das secretarias de Saúde. Brasil registra 548 mortes por Covid em 24 horas O Brasil registrou, neste sábado (25), 548 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 594.246 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 528. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +12% e aponta tendência de queda. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h deste sábado. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. AC, AM, CE, RR e SE não atualizaram os números de mortes por Covid. No Ceará, não foram coletados casos e mortes porque as bases de dados do sistema estavam fora do ar. A Secretaria de Saúde do Estado informou que a equipe de Tecnologia da Comunicação trabalha nos últimos dias para solucionar o problema da extração de dados relacionados a Covid-19. Veja a sequência da última semana na média móvel: Média móvel de mortes por Covid 25/09 Daniel Ivanaskas Sábado (18): 565 Domingo (19): 558 Segunda (20): 557 Terça (21): 524 Quarta (22): 531 Quinta (23): 534 Sexta (24): 565 Sábado (25): 548 Em 31 de julho o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril. Em casos confirmados, desde o começo da pandemia, 21.340.776 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 13.972 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 16.170 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de -2% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de queda nos diagnósticos. A média móvel de casos vinha em sequência de queda por 18 dias seguidos até a semana passada, se aproximando de 15 mil diagnósticos diários, mas saltou para acima de 30 mil devido à inserção de dezenas de milhares de casos represados após um ajuste no sistema que concentra esses dados. Ao longo de três dias na semana passada, RJ e SP incluíram juntos mais de 150 mil registros de casos por conta desse problema, o que resultou nesse salto na média. Mortes e casos de coronavírus no Brasil e nos estados Mortes e casos por cidade Veja como está a vacinação no seu estado Outros estados também reportaram impacto em menor escala desse ajuste na última semana, para cima ou para baixo. Após os relatos, o Ministério da Saúde informou na segunda (20), por nota, que "vem realizando melhorias no sistema e-SUS Notifica para melhor atender as ações de vigilância". Disse ainda que está à disposição para prestar suporte a gestores, mas que até o momento não havia sido procurado por nenhum estado relatando problemas. Os ajustes não prejudicaram a contagem de mortos. Em seu pior momento a curva da média móvel nacional chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano. 10 estados e o DF apresentam tendência de alta: AC, AP, TO, SE , PA, ES, SP, PR, DF, BA, RJ Em estabilidade: RS , PI, PE , RN , GO , PB Em queda: RO, MT, AM , MA, MG, MS, AL, SC Média de novos casos nos últimos 7 dias: 16.170 Brasil, 25 de setembro Total de mortes: 594.246 Registro de mortes em 24 horas: 548 Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 528 Total de casos confirmados: 21.340.776 Registro de casos confirmados em 24 horas: 13.972 Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia). Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Vacinação Somando a primeira dose, a segunda, a única e a de reforço, são 230.319.693 doses aplicadas desde o começo da vacinação. Total de pessoas que estão parcialmente imunizadas (que receberam apenas uma das doses necessárias): 144.712.060 Total de pessoas que receberam duas doses: 82.657.173 Total de pessoas que receberam dose única (Janssen): 4.191.934 Total de pessoas totalmente imunizadas (2ª dose + dose única): 86.849.107 Total de doses de reforço aplicadas: 550.898 Total de doses aplicadas: 232.112.065 Total de doses aplicadas em 24 horas: 1.792.372, sendo: 1ª dose: 683.772 2ª dose + dose única: 1.079.322 dose de reforço: 29.278 Veja a situação nos estados Estados com maiores percentuais de vacinados (1ª dose): SP, RS, DF, SC, PR Estados com maiores percentuais de vacinados (2ª dose + dose única): MS, SP, RS, ES, PR Média móvel 25/09 Daniel Ivanaskas Média móvel 25/09 Daniel Ivanaskas Média Móvel Daniel Ivanaskas Sul PR: +43% RS: +22% SC: -15% Sudeste ES: +49% MG: -20% RJ: +46% SP: +43% Centro-Oeste DF: +14% GO: -3% MS: -23% MT: -39% Norte AC: +850% AM: -18% AP: +600% PA: +111% RO: -58% RR: -58% TO: +150% Nordeste AL: -20% BA: +28% CE: -56% MA: -31% PB: +4% PE: 0% PI: -20% RN: 0% SE: +100% Brasil Sul Sudeste Centro-Oeste Norte Nordeste a Consórcio de veículos de imprensa Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais). VÍDEOS: mortes por Covid por município mês a mês Números de Covid no Brasil Editoria de Arte/G1

♪ Uma das cantoras mais solicitadas para colaborações em discos de artistas da cena indie paulistana, Céu também figura no primeiro álbum de Zé Nigro, Apocalip se, disco cuja capa expõe obra do artista plástico Zé Vicente. Céu divide com Nigro a interpretação de Jararaca snake, música composta pelo artista com Betão Aguiar, Fernando Gurman e Thomas Sieh. Jararaca snake é uma das onze músicas inéditas que compõem o repertório autoral de Apocalip se, disco posto no mundo digital na quinta-feira, 23 de setembro, em edição do selo Ziji Music. Capa do álbum 'Apocalip se', de Zé Nigro Obra de Zé Vicente Thalma de Freitas também participa do álbum, cantando Xapiri com Nigro. Xapiri é o tema que encerra Apocalip se, disco em que Nigro se apresenta como cantor e compositor após trajetória como produtor musical, arranjador e multi-instrumentista associado primordialmente ao toque do baixo. Entre temas assinados solitariamente (casos de Andarilhx das galáxias, Mata e Shangri), o artista apresenta parcerias com Ava Rocha (Ponteiro), Anna Zeppa (Calor) e Saulo Duarte (Flor do futuro, faixa que desabrocha com vocais de Anais Sylla, cantora também presente na gravação de Colores). Produzido e gravado pelo próprio Zé Nigro entre fevereiro de 2020 e abril deste ano de 2021, o álbum Apocalip se foi anunciado em 12 de agosto com a edição do single Gorjeios, ao qual se seguiu um segundo single, com a faixa-título, em 3 de setembro.